General quer soldados dos EUA por mais tempo no Iraque

As tropas iraquianas crescem em número, mas falta-lhes a experiência para garantir a segurança durante as eleições de 30 de janeiro sem a ajuda americana, disse o comandante das forças dos EUA no Iraque, ao defender os planos para prorrogar o período de serviço dos soldados que se encontram no país árabe.O general John Abizaid, chefe do Comando Central americano, também ofereceu um reconhecimento dos progressos feitos pela Síria e pelo Irã para reduzir o uso de seus territórios como base para a desestabilização do Iraque - mas declarou que os dois países ainda precisam de esforçar mais.Os EUA mantêm cerca de 138.000 soldados no Iraque. Na quarta-feira, o Pentágono anunciou que o número chegará a cerca de 150.000 até meados de janeiro. O número é superior ao total envolvido na guerra que derrubou Saddam Hussein. O aumento será obtido, principalmente, com a ampliação, até março, dos turnos de serviço de 10.000 soldados que deveriam voltar para casa em janeiro."Era nossa esperança que conseguiríamos ter uma combinação de incrementos que seria, principalmente, um incremento das tropas iraquianas", disse Abizaid. "E, embora as tropas iraquianas sejam maiores em número do que costumavam ser, essas forças precisam de mais treino, mais experiência. Então, temos de trazer mais forças americanas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.