General reconhece que guerrilha iraquiana se sofistica

O comandante das forças dos EUA no Iraque reconheceu que a guerrilha iraquiana está evoluindo para uma força "mais letal, mais sofisticada" desde a queda de Bagdá, há cerca de seis meses. "O inimigo evoluiu - um pouco mais letal, um pouco mais complexo, um pouco mais sofisticado, e em alguns casos, um pouco mais obstinado", afirmou o general Ricardo Sanchez. "A evolução é mais ou menos o que esperávamos ver com o tempo".As tropas dos EUA enfrentam uma resistência guerrilheira de baixa intensidade que tem matado, em média, de três a seis americanos e ferido outros 40 cada semana. Desde 1º de maio, quando o presidente George W. Bush anunciou o fim dos grandes combates, 90 soldados dos EUA morreram em atos hostis. Sanchez atribui a mudança na natureza do conflito a um influxo de combatentes estrangeiros vindos da Síria e do norte do Irã que se uniram ao núcleo da resistência de leais a Saddam."Acreditamos que existe de fato um elemento de combatentes estrangeiros. Existe um elemento de terrorismo focado na coalizão e na comunidade internacional em geral e no povo iraquiano para tentar interromper os progressos que estão sendo feitos", considerou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.