General rejeita chefiar Otan e deixa Exército dos EUA

John Allen, comandante das forças militares no Afeganistão, renuncia em razão do estado de saúde da mulher

DENISE CHRISPIM MARIN, CORRESPONDENTE / WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2013 | 02h02

Indicado pela Casa Branca para chefiar a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), o general John Allen, comandante das forças americanas no Afeganistão, renunciou ontem a seu posto e pediu para deixar o Exército.

Militar com mais tempo de serviço no Afeganistão e integrante do círculo de conselheiros do presidente dos EUA, Barack Obama, Allen alegou ser agora o momento de cuidar da saúde debilitada de sua mulher, Kathy, no interior do Estado de Virgínia.

Allen foi liberado, no mês passado, de uma investigação do Pentágono sobre a suspeita de seu envolvimento com a socialite Jill Kelley. Durante o inquérito sobre o escândalo sexual entre o general David Petraeus, então diretor da CIA, e sua biógrafa Paula Broadwell, o FBI descobrira uma troca de e-mails afetiva entre Allen e a Kelley, que alegou ser "muito amiga do general".

"Agora é hora de cuidar da minha família. Tudo o que eu quero é ter tempo para a Kathy", disse Allen. Sua mulher sofre de uma doença autoimune e sua saúde, segundo o general, tem se debilitado. A mudança do casal para Bruxelas, onde está a sede da Otan, seria inviável.

General de quatro estrelas, de 59 anos, Allen foi o primeiro marine a assumir o comando de uma guerra. Ele deixa o Afeganistão em um momento crítico. Embora o país passe por uma nova onda de violência, Obama decidiu retirar 34 mil americanos ainda neste ano e o restante, 32 mil, até o fim de 2014.

Nos próximos dias, a Casa Branca anunciará quem substituirá Allen no Afeganistão e quem será o novo comandante da Otan. "Eu disse ao general Allen que ele tem minha profunda e pessoal gratidão por seu extraordinário serviço nos últimos 19 meses no Afeganistão, assim como por suas décadas de serviço ao Corpo de Marines dos EUA", afirmou Obama em nota.

Antes de Allen, no governo Obama, estiveram na mesma função os generais Petraeus, que renunciou à chefia da CIA após o escândalo, e Stanley McChrystal, demitido depois que uma reportagem revelou a forma desrespeitosa com que ele se referia a Obama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.