General uruguaio é preso acusado de matar militante

O general uruguaio Miguel Dalmao foi detido e enviado à prisão hoje, acusado do delito de "homicídio agravado". Dalmao é acusado de ter assassinado, em 1974, a militante comunista Nibia Sabalsagaray, morta na prisão em junho daquele ano. Além de Dalmao, foi detido hoje o coronel José Chialanza, que está na reserva, informou Raúl Oxandabarat, diretor de comunicações da Suprema Corte de Justiça do Uruguai.

AE, Agência Estado

08 de novembro de 2010 | 19h10

As ordens de prisão foram assinadas em audiência pelo juiz Rolando Vomero, a pedido da procuradora Mirtha Guianza. Segundo ela, Nibia havia sido detida em 1973 e foi morta pelos dois militares um ano depois.

Dalmao, que já foi interrogado antes nesse caso, alega ser inocente. Atualmente, ele é chefe da IV divisão do Exército do Uruguai. Ele é o primeiro militar uruguaio na ativa a ser preso por delitos de violações dos direitos humanos cometidas durante a ditadura militar uruguaia (1973-1985). Na época do assassinato de Nibia, Dalmao comandava o departamento de inteligência. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.