Juan Manuel Hernandez/AP
Juan Manuel Hernandez/AP

General venezuelano resiste a prisão pedida por Maduro

Ángel Vivas é acusado pelo governo de treinar manifestantes que erguem barricadas na cidade

Luiz Raatz, Enviado Especial/ Caracas

23 de fevereiro de 2014 | 20h40

Um general da reserva venezuelana opositor ao chavismo resistiu neste domingo a um mandado de prisão com fuzil em punho em sua casa a leste de Caracas. Ángel Vivas é acusado por Nicolás Maduro de treinar manifestantes que erguem barricadas na cidade. Numa delas, um motoqueiro morreu na madrugada de sábado ao chocar-se contra uma barreira de arame farpado. Homens armados foram tentar prender o militar da reserva, mas desistiram depois de ele se refugiar no teto da residência. O general da reserva é conhecido por denunciar uma suposta ingerência de agentes cubanos no Exército da Venezuela.

Um dia antes, Maduro acusou o general de ser o mentor de manifestantes que protestam contra o governo. "Mandei prender o general que pediu a colocação dessas barricadas e treina esses fascistas", disse o presidente. "Ángel Vivas, vão te buscar e te prender. Assassinos!" Segundo um advogado do general, os homens deixaram o local por não ter uma ordem de prisão assinada.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaProtestosMaduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.