Genoma do gorila lança luzes sobre a evolução humana

Cientistas sequenciaram o genoma do gorila, última espécie de grandes primatas a ter seu genes decodificados, e disseram que esse trabalho esclarece algumas diferenças entre macacos e humanos - inclusive sua capacidade de produzir espermatozoides competitivos.

KATE KELLAND, REUTERS

07 de março de 2012 | 19h58

A pesquisa também confirma que nosso parente mais próximo é o chimpanzé, mas revela que cerca de 15 por cento do mapa genético humano se parece mais com o do gorila do que com o do chimpanzé.

Mais do que as semelhanças, no entanto, foram as diferenças que intrigaram os cientistas - caso dos genes envolvidos na produção do esperma, segundo Chris Tyler-Smith, integrante do grupo que apresentou suas conclusões numa entrevista por telefone.

"Os gorilas vivem em grupos com um macho e muitas fêmeas, então não há muita oportunidade para a competição entre espermatozóides", explicou ele. "Foi interessante para nós vermos que alguns genes envolvidos na formação do esperma (...) ou haviam se tornado inativos nos gorilas, ou diminuíram em termos do número de cópias."

O estudo foi publicado na quarta-feira pela revista Nature.

Aylwyn Scally, que trabalha no Instituto Wellcome Trust Sanger, da Grã-Bretanha, e comandou a pesquisa, disse que "o genoma do gorila é importante porque nos conta sobre uma época crucial em que estávamos divergindo dos nossos primos evolutivamente mais próximos".

O genoma humano foi desvendado em 2003. Seguiram-se os do chimpanzé (2005) e do orangotango (2011).

"Comparações entre eles podem nos ajudar a explorar a origem dos humanos, quando nos separamos das grandes espécies de símios na África, entre 6 e 10 milhões de anos atrás", disse Richard Durbin, que também trabalhou no estudo do Instituto Sanger.

Genes relacionados à percepção sensorial, audição e desenvolvimento cerebral apresentaram uma acelerada evolução para humanos, gorilas e chimpanzés, mas isso foi especialmente notável em humanos e gorilas.

A equipe concluiu que os gorilas se diferenciaram dos ancestrais de humanos e chimpanzés há cerca de 10 milhões de anos, e que sua divisão entre as duas espécies atuais - gorilas do leste e do oeste - foi muito mais recente e gradual. Eles compararam essa diferenciação à ocorrida entre chimpanzés e bonobos, e entre humanos modernos e neandertais.

Tudo o que sabemos sobre:
GERALGORILAGENOMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.