Genro de premiê, ministro da Defesa é primeiro a demitir-se de gabinete russo

O ministro da Defesa da Rússia, Anatoli Serdyukov, renunciou ontem após sete meses no cargo. A notícia foi dada pelo sogro de Serdyukov, o primeiro-ministro Viktor Zubkov. "Conversei com Serdyukov e chegamos à conclusão de que, considerando a proximidade de nossos laços familiares, ele deveria pedir demissão de seu cargo", afirmou Zubkov.O premiê encontrou-se ontem com o presidente russo, Vladimir Putin, e disse que entregou ao líder do país uma proposta para a formação de um novo gabinete que deve ser anunciada até sexta-feira. "A nova estrutura (do governo) será decidida dentro do período definido pela lei - sete dias depois da minha posse."De acordo com especialistas do Kremlin, entre os funcionários que podem ser demitidos do gabinete de Zubkov estão o ministro da Economia, German Gref, e o ministro da Saúde, Mikhail Zurabov - que não são populares entre os russos.A nomeação de Zubkov - tecnocrata praticamente desconhecido - por Putin como premiê surpreendeu o país. A decisão confundiu previsões de analistas, que acreditavam que ele escolheria um dos dois favoritos na corrida presidencial do ano que vem para o cargo de premiê: os vice-primeiros-ministros Serguei Ivanov e Dmitri Medvedev.Assim como o premiê, Serdyukov era pouco conhecido antes de ser escolhido por Putin para liderar a pasta da Defesa em fevereiro. Desde que assumiu o posto, Serdyukov destituiu quatro militares de alta patente.A escolha por Zubkov, segundo analistas, poderia fazer parte de uma estratégia de Putin para voltar ao poder. Pela Constituição russa, após dois períodos consecutivos, Putin só poderá concorrer à presidência em 2012 - ou antes, caso seu sucessor renuncie antes do fim do mandato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.