Reuters
Reuters

George Bush vai declarar apoio formal a Romney

Segundo o porta-voz do pré-candidato republicano, ele e Bush pai se encontrarão esta semana

AE, Agência Estado

28 Março 2012 | 13h50

Texto atualizado às 18h32

 

LOS ANGELES - O ex-presidente George H. W. Bush, pai do também ex-presidente George W. Bush, pretende endossar a pré-candidatura de Mitt Romney e pedir que o Partido Republicano se aglutine ao redor da campanha do favorito para a campanha presidencial.

O porta-voz de Romney, Gail Gitcho, disse que os dois vão se encontrar na quinta-feira em Houston, quando devem aparecer juntos e conversar com jornalistas.

O apoio formal do 41º presidente norte-americano, que governou o país entre 1989 e 1993, mostra que o Partido Republicano está se unindo ao redor da candidatura de Romney, elevando a pressão para que Rick Santorum e Newt Gingrich deixem a corrida.

Bush pai ofereceu palavras encorajadoras a Romney durante as primárias, mas ainda não tinha dado seu apoio oficial, embora sua mulher, Barbara Bush já tenha formalizado seu apoio a Romney. O filho do ex-presidente, o ex-governador da Flórida Jeb Bush, apoiou a candidatura de Romney na semana passada. Já George W. Bush, ex-presidente e também filho de George H. W. Bush, não endossou nenhum candidato na corrida pelas primárias republicanas, preferindo ficar de fora da disputa para escolha de um adversário para o presidente democrata, Barack Obama, na eleição de 6 de novembro.

Roubo

Laptops e iPads contendo informações sensíveis sobre a campanha de Romney foram roubados do interior de um carro alugado, que estava estacionado em San Diego, na última sexta-feira. A campanha do pré-candidato confirmou a informação na terça-feira.

Os dois laptops, dois iPads e dois rádios pertenciam a dois integrantes da campanha de Romney. A porta-voz do pré-candidato, Andrea Saul, disse que se tratou de uma "inconveniência desafortunada", mas que os integrantes da campanha não estão preocupados com a divulgação de informações sensíveis. Segundo ela, não há suspeitas de que o roubo teve motivação política.

 

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.