Geórgia denuncia expulsão de 50 famílias da Abkházia

Separatistas apoiados pela Rússia expulsaram cerca de 50 famílias de etnia georgiana de um distrito na fronteira entre a Geórgia e a província separatista da Abkházia, denunciou hoje o Ministério das Relações Exteriores georgiano. Em comunicado, o ministério disse que milícias da Abkházia, região que proclamou a independência no ano passado, expulsaram as famílias do distrito de Gali na noite de ontem. "Isso mostra evidentemente que existe um risco sério de uma renovada limpeza étnica", afirma a nota.O incidente ocorreu logo após um georgiano ter se recusado a participar de milícias separatistas, afirma o texto. Ele teria sido muito espancado, mas teria conseguido escapar. As milícias, então, informou o comunicado, retaliaram com a expulsão das famílias. Autoridades da Abkházia não foram encontradas para comentar o ocorrido.A Abkházia, província às margens do Mar Negro, já é independente da Geórgia na prática desde 1993, quando após dois anos de lutas entre georgianos e abkházios forças de paz das Nações Unidas começaram a monitorar o cessar-fogo. Depois de uma breve guerra entre a Rússia e a Geórgia, em agosto do ano passado, a Abkházia, apoiada por Moscou, proclamou a independência. A Rússia reconheceu a medida, bem como a de outra província separatista georgiana, a Ossétia do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.