Geórgia diz que jato russo derrubou míssil após confusão

O míssil que caiu na Geórgia foiderrubado, e não disparado por um jato russo que sobrevoava opaís, afirmou nesta quarta-feira uma autoridade da ex-repúblicasoviética, depois de Estados Unidos e Europa estimularem asduas potências para continuarem calmas. A arma caiu --mas não explodiu-- em uma fazenda a cerca de65 quilômetros ao oeste da capital da Geórgia, Tbilisi, nasegunda-feira, gerando tensões entre o país e a Rússia. A Geórgia afirmou inicialmente que o míssil tinha sidolançado por jatos russos. Mas uma autoridade do país disse àReuters nesta quarta-feira que o piloto da Rússia derrubou aarma depois de ficar sob a mira de forças separatistas naOssétia do Sul, uma região da Geórgia apoiada por Moscou, em umaparente mau entendido. A Rússia continuou negando envolvimento no incidente. OsEUA e a União Européia pediram aos dois lados que contivessem aretórica e mostrassem calma. Um relatório preliminar compilado por uma equipe demonitoramento da Organização para Segurança e Cooperação naEuropa (OSCE), composta por 56 países do continente, aimpressão de um radar entregue por autoridades da Geórgiaindicaram que o avião tinha voado desde o nordeste e saiu poronde entrou. Mas o relatório preliminar, obtido pela Reuters, não mostrade forma conclusiva que o míssil foi derrubado pela Rússia,dizendo que os monitores não identificaram a aeronave nem omíssil. A Geórgia disse que vai pedir um encontro especial doConselho de Segurança das Nações Unidas para debater o quechamou de "ato de agressão" da Rússia. Em Washington, o porta-voz do Departamento de Estado, SeanMcCormack, disse que os EUA tinham falado com ambos os lados dadisputa para saber quem foi responsável pelo incidente. A UEtambém pediu tranquilidade. A Rússia negou que as suas forças armadas tenham relaçãocom o míssil e sugeriu que a própria Geórgia derrubou a bombapara provocar uma briga com os russos. Em uma nova versão dos acontecimentos, uma autoridade daGeórgia, que pediu para não ser identificada, afirmou que omíssil caiu depois de uma confusão envolvendo um jato russo quepassou para o espaço aéreo da ex-república soviética. "O piloto do jato decidiu se livrar o míssil guiado quetinha a bordo", afirmou. "Por isso ele não explodiu." Um porta-voz do Ministério da Defesa russo descartou essaexplicação. Uma porta-voz da administração separatista daOssétia do Sul disse ser "absurdo" e que as forças na áreatinham apenas armas leves. (Por Margarita Antidze)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.