Geórgia encontra três bombas em cidade e culpa a Rússia

A polícia da ex-república soviética da Geórgia afirmou ter encontrado nesta quinta-feira três bombas diante de edifícios governamentais em Kutaisi, a segunda maior cidade do país, e acusou a Rússia de estar por trás disso.

MARGARITA ANTIDZE, REUTERS

31 Março 2011 | 20h03

As autoridades da Geórgia, que seguem uma linha pró-Ocidente, costumam acusar a Rússia de intrometer-se em seus assuntos desde que os dois países travaram uma guerra de cinco dias em 2008 por causa da república separatista georgiana da Ossétia do Sul, apoiada pelo governo russo.

O Ministério do Interior disse que três pessoas foram presas sob suspeita de plantar duas bombas diante de um edifício municipal e uma outra diante de um cartório de registro civil em Kutaisi, situada 24 quilômetros a oeste da capital, Tbilisi.

"Os detidos disseram ter recebido ordens de colocar as bombas na frente de prédios governamentais em Kutaisi", afirmou o Ministério do Interior em um comunicado. "Eles disseram que os explosivos lhes foram dados por um militar russo."

O Ministério da Defesa e o Ministério de Relações Exteriores da Rússia não puderam ser contatados para comentar o assunto nesta quinta-feira. A Rússia negou no ano passado as acusações da Geórgia de envolvimento em atentados no país.

O presidente georgiano, Mikheil Saakashvili, declarou que os serviços de segurança da nação têm de trabalhar para afastar "tentativas daqueles de fora que estão tentando abalar... a estabilidade."

A tensão entre a Geórgia e a Rússia permanece alta desde a guerra, que ampliou a influência russa na Ossétia do Sul e em uma outra região separatista georgiana, a Abkházia.

Mais conteúdo sobre:
GEORGIA RUSSIA BOMBAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.