Geórgia entregará à Rússia 13 chechenos

As autoridades georgianas disseram nesta quarta-feira que concordaram em entregar à Rússia 13 chechenos detidos na fronteira no início de agosto. Logo após as detenções, as autoridades russas exigiram a extradição, caso contrário a Geórgia seria acusada de não cooperar na luta internacional contra o terrorismo. Hoje, o procurador-geral Nuzgar Gabrichidze concordou com a extradição."Desde o início, era óbvio que eram combatentes", disse hoje o chanceler russo, Igor Ivanov. "Esperamos que esta decisão seja o primeiro passo real para o cumprimento das promessas feitas pelos dirigentes da Geórgia de se empenharem na luta contra o terrorismo".Em Varsóvia, o ministro da Defesa russo, Sergei Ivanov, disse que há ainda mais terroristas na Geórgia "cuja extradição é desejada tanto pela Rússia como pela comunidade internacional", segundo a agência de notícias Interfax.Moscou acusa Tbilisi de permitir que os insurgentes chechenos se refugiem no Passo de Pankisi. Além disso, a Rússia não levou em conta a ofensiva georgiana naquele desfiladeiro por considerá-la ineficaz e ameaçou atacar a zona.Nesta quarta-feira, o coronel-general Yuri Baluyevsky, sub-chefe do Estado Maior das Forças Armadas russas, prognosticou que os combatentes chechenos lançarão em breve uma ofensiva na Geórgia. Baluyevsky disse em Moscou que esse ataque ocorrerá antes do início do inverno no hemisfério norte, "quando muitos desfiladeiros e trilhas nas montanhas utilizadas pelos bandidos para infiltrar-se na Chechênia ficam bloqueados".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.