Geórgia marca eleição presidencial para 4 de janeiro

O Parlamento da Géorgia marcou para 4 de janeiro as eleições presidenciais antecipadas, depois da derrubada pacífica do presidente Eduard Shevardnadze. Pouco antes, a Suprema Corte da Geórgia havia anulado oficialmente, devido a fraudes, a eleição de 2 de novembro para um novo Parlamento. O pleito provocou protestos em massa e culminou com a saída de Shevardnadze, mantendo a antiga legislatura eleita em 1999 até que seja realizada uma nova votação."Hoje estamos começando uma nova era. Devemos nos manter lado a lado, independentemente de nacionalidade, de interesses políticos", pediu a presidente do Parlamento e atual presidente interina do país, Nino Budrzhanadze, antes da votação parlamentar. Ele também advertiu que a Geórgia está "à beira do colapso econômico", necessitando urgentemente de ajuda. "A situação é muito difícil... pior do que pensávamos. Temos de tomar medidas radicais", disse, numa reunião televisionada com autoridades da administração.A decisão sobre novas eleições parlamentares ficou para amanhã. As eleições irão definir o número de cadeiras que cada partido controlará na nova legislatura; 75 congressistas eleitos individualmente, e não por suas legendas, em 2 de novembro, manterão suas vagas.

Agencia Estado,

25 de novembro de 2003 | 15h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.