Gesto aumenta nível de 'ansiedade' no Congresso

Parlamentares do Partido Republicano tendem a levar adiante planos que limitariam ainda mais a margem de Obama

WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

04 Março 2015 | 02h06

O discurso de Binyamin Netanyahu aumentou a já elevada "ansiedade" do Congresso americano em relação a um acordo nuclear com o Irã e poderá dar impulso a iniciativas legislativas que tentem limitar a capacidade de negociação do presidente Barack Obama, avaliou ontem Ray Takeyh, especialista em Oriente Médio do Council on Foreign Relations.

Em conferência telefônica sobre as declarações do premiê israelense, Takeyh lembrou que um grupo de senadores republicanos e democratas apresentou na semana passada projeto que obriga o Executivo a submeter o possível acordo à aprovação do Congresso. Obama anunciou que vetará a proposta.

"Já existia um nível de ansiedade e perturbação no Congresso (antes do discurso) - e não apenas entre republicanos", afirmou Takeyh. Para ele, as declarações de Netanyahu empurraram os parlamentares um "pouco mais" na direção da oposição à negociação.

O presidente do Senado, Mitch McConnell, disse que colocará o projeto em votação na próxima semana, mas isso só será possível se ele tiver apoio de parlamentares democratas para atingir o número mínimo de 60 votos necessários para a proposta chegar ao plenário - os republicanos têm 54 das 100 cadeiras da Casa. / C.T.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.