Gigante da telefonia móvel investirá na Índia

A principal companhia de telefonia móvel do mercado indiano, Bharti, investirá US$ 8 bilhões até o ano de 2010, para manter 25% da cota de um número de usuários estimado para então em mais de 400 milhões de clientes, anunciou o presidente da empresa, Sunil Mittal."Em 2010, as estimativas indicam que a Índia terá uma base de 400 a 500 milhões de assinantes. A Bharti quer reter cerca de 125 milhões, o que significa 25 %", disse, neste domingo, 12, Mittal à agência indiana "PTI".O movimento expansivo da Bharti acontece em pleno processo de entrada da Vodafone no mercado indiano da telefonia celular, mediante a aquisição da Hutch-Essar, o terceiro operador do país, embora Mittal tenha dito que sua companhia continuará sendo a "número 1" na Índia."Estamos gastando a cada ano aproximadamente US$ 2 bilhões porque o futuro, em termos de infra-estrutura, continua sendo mais poderoso que o passado", assegurou Mittal, que acrescentou que a receita de sua empresa este ano será próxima dos US$ 4 bilhões.A Índia permitiu em 1994 a participação privada no setor das comunicações, e desde então o crescimento da telefonia celular foi tão elevado que em setembro de 2004 já havia mais proprietários de telefones móveis que de linhas fixas.Em 31 de janeiro, o país asiático contava com 196,8 milhões de linhas telefônicas, das quais menos de uma quinta parte (cerca de 41 milhões) era de telefones fixos.Isto transforma a Índia, com seus cerca de 1,1 bilhão de habitantes, no quarto país do mundo em número de telefones móveis, atrás apenas de China, EUA e Rússia, segundo dados recentemente publicados pelo Ministério de Telecomunicações indiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.