Gigolô suíço é julgado por chantagear milionárias na Alemanha

Entre as vítimas estava Susanne Klatten, herdeira da BMW e mulher mais rica do país.

BBC Brasil, BBC

09 de março de 2009 | 07h48

Um homem suíço declarou-se culpado da acusação de seduzir várias mulheres ricas para extorquir milhões de dólares, em um julgamento em Munique, na Alemanha, iniciado nesta segunda-feira.Helg Sgarbi, que a mídia alemã apelidou de "gigolô suíço", pode ser condenado a dez anos de prisão por fraude e extorsão.Sua vítima mais famosa é Susanne Klatten, de 46 anos, herdeira da fábrica de automóveis alemã BMW, considerada a mulher mais rica da Alemanha. Segundo promotores, Klatten deu a Sgarbi, ex-funcionário de um banco de investimentos, quase US$ 9 milhões, mas registrou queixa na polícia quando ele tentou chantageá-la ameaçando divulgar um vídeo que mostrava ambos fazendo sexo no quarto de um hotel da cidade.Klatten, uma empresária casada, mãe de três filhos, disse que Sgarbi, exigiu US$ 18 milhões.O correspondente da BBC em Munique, Steve Rosenberg, disse que Sgarbi permaneceu sentado durante a audiência, impassível, enquanto as acusações eram lidas. Seu advogado disse em seguida que as acusações eram precisas.Como admitiu culpa, Sgarbi pode ter uma sentença mais curta. Se ele contestasse as acusações, acredita-se que Klatten, uma mulher que costuma evitar publicidade, poderia prestar depoimento no tribunal.O caso está atraindo grande interesse da mídia alemã, de acordo com Rosenberg.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
gigolôBMWHelg SgarbiSusanne Klatten

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.