Gillani recebe voto de confiança do Parlamento paquistanês

Gillani disse após obter o voto de confiança que "o terrorismo é o maior desafio que o país enfrenta"

EFE

29 de março de 2008 | 05h37

O recém eleito primeiro-ministro paquistanês, Yousaf Raza Gillani, obteve neste sábado o voto de confiança do Parlamento por unanimidade, segundo anunciou a presidente da Câmara, Fahmida Mirza. Gillani, que tomou posse na terça-feira passada, um dia depois de ter sido eleito chefe de Governo pela mesma Câmara, disse após obter o voto de confiança que "o terrorismo é o maior desafio que o país enfrenta". "A guerra contra o terrorismo é nossa guerra", assinalou Gillani na introdução da exposição de seu programa para os primeiros 100 dias de mandato. Acrescentou que o novo Governo "está preparado para iniciar conversas com os que optarem por abandonar as armas". O primeiro-ministro anunciou que seu Governo destinará "um pacote de ajudas" ao conflituoso cinto tribal paquistanês fronteiriço com o Afeganistão, como "parte de uma estratégia na luta contra o terrorismo". Gillani iniciou seu discurso com uma "homenagem à filha do Leste" - como gostava ser chamada a assassinada ex-primeira-ministra Benazir Bhutto - e assinalou que não esquecerá dos amigos que estiveram a seu lado "nos momentos difíceis". Na sessão, que começou com a habitual leitura de passagens do Corão, Gillani pediu que a oposição lhe ofereça seu apoio parlamentar, e recebeu um sinal positivo como resposta. Com isso, o primeiro-ministro não só contou com o apoio dos partidos que formam o Governo de coalzão - a Liga Muçulmana-N, de Nawaz Sharif, e duas legendas minoritárias -, mas também com o da opositora Liga Muçulmana-Q, que respalda o presidente Pervez Musharraf.

Tudo o que sabemos sobre:
Yousaf Raza Gillan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.