Gingrich se torna alvo em debate republicano

Primárias para definir candidato que enfrentará Obama começam em janeiro

DENISE CHRISPIM MARIN , CORRESPONDENTE/ WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2011 | 03h07

Favorito entre os pré-candidatos republicanos na corrida pela Casa Branca em 2012, o veterano Newt Gingrich foi o principal alvo ontem dos rivais no último debate antes do caucus (assembleia de eleitores) de Iowa, que abre a disputa pela candidatura do partido, em 3 de janeiro. Ele foi acusado de ter feito lobby pela Freddy Mac, a falida agência de financiamento habitacional e de "não ser um fidedigno conservador".

Presidente da Câmara dos Deputados nos anos 90 e feroz opositor do governo de Bill Clinton, Gingrich foi chamado de "hipócrita" por ter criticado o aumento da fiscalização sobre a Freddie Mac. A empresa, que teve de ser estatizada durante a crise de 2008, o contratara como consultor por US$ 1,6 milhão. O serviço tem sido qualificado como lobby pelos seus concorrentes.

Gingrich foi acuado, principalmente, pela deputada Michelle Bachmann, que precisa se sair bem em Iowa para seguir na corrida. "Eu não fiz lobby de nenhum tipo para nenhuma organização", declarou a pré-candidata, representante da ala mais conservadora do partido, o Tea Party. "Você não precisa ser tecnicamente lobista para atuar como um deles."

O líder nas pesquisas rebateu, dizendo que sua rival tinha informações equivocadas sobre o caso. "Acredito que seja justo dizer que meu compromisso com a disciplina e o trabalho é evidente", disse Gingrich. "Estou preparado para liderar o povo americano de volta ao rumo certo."

Embora tenha reiterado suas críticas a Gingrich, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney preferiu manter o presidente americano, Barack Obama, como principal alvo e acabou poupado pelos adversários.

Favorito para o caucus de Iowa, o deputado federal Ron Paul foi criticado por Bachmann por suas posições sobre o Irã e a política militar americana. "Declarar guerra a 1,2 milhões de muçulmanos é uma conversa perigosa. Sim, há alguns radicais. Mas eles não vem aqui nos matar porque nós somos livres e prósperos. Eles querem nos ameaçar porque nós os bombardeamos", sustentou Paul.

"Eu nunca ouvi uma resposta tão perigosa para a segurança americana", revidou Bachmann, que se destacou como a principal provocadora no debate.

O governador do Texas, Rick Perry, mostrou-se ainda debilitado por suas recentes gafes públicas. Mas, confiante no apoio do eleitorado evangélico, insistiu que será "o Tim Tebow" do teste eleitoral de Iowa. Tebow é um dos melhores atacantes da Liga Nacional de Futebol (americano). O ex-embaixador em Pequim Jon Huntsman e o ex-senador Rick Santorum mantiveram-se apagados.

Nas próximas duas semanas e meia, os pré-candidatos se dedicarão ao corpo a corpo com o eleitorado de Iowa, A média das pesquisas eleitorais calculada pela Real Clear Politics aponta Gingrich com 33,2%, seguido pelo ex-governador de Massachusetts e preferido pelo establishment republicano Mitt Romney, com 22,7%. Todos os demais têm menos de 10%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.