Gingrich usa apoio de Cain como trunfo contra Romney

Ex-presidente da Câmara também conta com adesões do ex-candidato Rick Perry e de Sara Palin à sua campanha

NAPLES, FLORIDA, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2012 | 03h01

Com um olho na primária da Flórida, amanhã, e outro nas etapas seguintes da escolha do candidato republicano à Casa Branca, Mitt Romney e Newt Gingrich disputam apoios nos bastidores. Gingrich, ex-presidente da Câmara dos Deputados, surpreendeu a plateia de republicanos de Palm Beach, na noite de sábado, ao trazer Herman Cain de volta à campanha, agora, como aliado.

Cain renunciara à corrida republicana, em dezembro em razão das denúncias de assédio sexual feitas por ex-funcionárias. Empresário negro de origem pobre, ele ainda tem a simpatia de uma parcela dos eleitores impressionados com seu sucesso e sua proposta de adotar uma alíquota única, de 9%, para os impostos federais, resumida como em sua campanha como "999".

Gingrich, agradecido, chegou a mostrar-se disposto a analisar a proposta tributária de Cain, se eleito for.

"Eu apoio entusiasticamente Newt Gingrich para presidente dos EUA. Ele é um patriota, não tem medo de grandes ideias", afirmou Cain, sem referir-se diretamente às promessas de colonizar a Lua e de construir o oleoduto do Canadá ao Texas, suspenso pela Casa Branca. "Estão jogando Newt no mesmo moedor de salchichas em que me jogaram", completou.

Na seleção natural dos pré-candidatos republicanos, Gingrich já obteve outros apoios. Além de Cain, também foi respaldado pelo governador do Texas, Rick Perry, que retirou sua pré-candidatura antes da primária da Carolina do Sul, no dia 17. A líder do Tea Party, Sarah Palin, também alinhou-se a Gingrich, apesar de não ter se envolvido na disputa republicana neste ano.

Romney conquistou como aliado o ex-governador de Utah Joe Huntsman, a quem havia acusado de dar apoio a Obama por ter servido como embaixador dos EUA em Pequim. A estrela latino-americana da Flórida, o senador Marco Rubio, de 40 anos, esquivou-se discretamente de Gingrich e ensaia apoiar Romney.

A próxima baixa esperada é a do ex-senador Rick Santorum, conservador associado à Opus Dei e à direita evangélica americana. / D.C.M

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.