Globovisión acusa governo venezuelano de exclusão de TV digital

De acordo com a rede, ação pode fazer com que a emissora deixe de ser um canal aberto

AE, Agência Estado

21 de fevereiro de 2013 | 09h42

CARACAS - O canal de televisão venezuelano Globovisión, que faz críticas do presidente Hugo Chávez, acusou o governo de exclui-lo do novo sistema de televisão digital e afirmou que a ação pode fazer com que a emissora deixe de ser um canal aberto.

O Globovisión é o único canal de televisão remanescente no país que critica o governo. O canal disse em comunicado que foi "arbitrariamente excluído" do sistema de televisão digital, embora tenha tomado as medidas para sua inclusão durante reuniões que as autoridades realizaram para lançar o projeto.

O vice-presidente, Nicolás Maduro, anunciou o lançamento do sistema de televisão digital na quarta-feira e disse que os canais estatais participarão do sistema, assim como as emissoras privadas Venevision, Meridiano e Televen. Maduro e outras autoridades não falaram da reclamação apresentada pela Globovisión.

Maduro declarou que o sistema digital gratuito é parte dos esforços do governo na direção do "socialismo comunicacional e cultural". Ele disse também, sem detalhamentos, que a mudança vai ajudar a controlar conteúdos que "tem promovido a pornografia, drogas, prostituição e o uso de armas."

A Globovisión está em confronto com o governo Chávez há muito tempo. Nos últimos anos o Conselho Nacional de Telecomunicações abriu oito investigações contra a emissora. No mês passado, a agência ordenou que o canal parasse de levar ao ar anúncios que questionavam a legalidade do adiamento da posse de Chávez, enquanto ele se tratava de um câncer em Cuba.

Em junho, a Globovisión pagou uma multa de mais de US$ 2 milhões imposta por reguladores numa outra investigação. Grupos de direitos humanos pediram ao governo que suspenda tais medidas contra a emissora.

A Globovisión disse que o fato de o governo ter decidido eliminar o antigo sistema analógico, usado atualmente, forçará o canal a "interromper suas transmissões" abertas e limitar sua programação ao sistema fechado. As autoridades ainda não divulgaram a data na qual o sistema analógico deixará de funcionar na Venezuela.

As informações são da Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaGlobovisión

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.