Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Google deve deixar China em abril, afirma jornal

O Google vai fechar seus negócios na China em abril, segundo informou hoje o jornal "China Business News", que citou uma fonte ligada à companhia. O diário afirmou também que o Google pode anunciar os detalhes de sua saída do país na segunda-feira. Não ficou claro, no entanto, se o Google vai fechar partes ou todas as suas operações na China.

AE, Agencia Estado

19 de março de 2010 | 15h17

De acordo com outras informações divulgadas pela imprensa, no sábado, o Google decidiu encerrar seu mecanismo de busca na China depois que negociações com o governo sobre a censura que o país asiático exerce sobre o conteúdo da internet chegaram a um impasse. Segundo uma fonte citada pelo jornal britânico Financial Times, o Google poderia deixar a China já no curto prazo, mas provavelmente aguardaria um pouco mais para que a saída fosse organizada, e a empresa pudesse tomar medidas que protegessem seus funcionários locais de represálias do governo.

Há uma semana, a China advertiu o Google - que tem uma participação de 30% no mercado local - sobre as consequências de não obedecer as leis do país. A empresa estuda também formas de manter outras operações no país, mas os executivos temem que a pressão das autoridades chinesas torne praticamente impossível sua permanência no país, afirmou o Financial Times.

Os demais negócios da empresa na China, anteriores ao lançamento do site Google.cn, há quatro anos, incluem um centro de pesquisa na capital Pequim e uma equipe de vendedores de anúncios. O conflito entre a China e o Google começou há dois meses, quando o site ameaçou deixar o mercado chinês após denunciar um ataque de hackers chineses contra contas de e-mail de dissidentes, jornalistas e empresários. Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinacensurainternetGooglesaída

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.