Ivan Sekretarev/AP
Ivan Sekretarev/AP

Gorbachev pede anulação da eleição e sugere repetição do pleito

Ex-presidente soviético pediu às autoridades que cedam à pressão da sociedade

07 de dezembro de 2011 | 12h12

MOSCOU - O ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev pediu nesta quarta-feira, 7, às autoridades da Rússia que anulem os resultados das eleições parlamentares de domingo e convoquem um novo pleito.

"Os dirigentes do país devem admitir a ocorrência de inúmeras falsificações e fraudes, e que os resultados não refletem a vontade dos eleitores", disse Gorbachev à agência "Interfax".

Por isso, acrescentou, "considero que as atuais autoridades devem adotar uma só decisão: anular os resultados das eleições e celebrar novas".

O ex-líder soviético indicou que "a cada dia que passa cresce o número de russos que consideram que os resultados do pleito não foram limpos".

"Da minha maneira de ver, fazer caso omisso da opinião pública mina o prestígio da autoridade e desestabiliza a situação", declarou Gorbachev.

As declarações do político cujas reformas mudaram o mundo no último quarto do século 20 ocorrem após dois dias de protestos populares em várias cidades da Rússia, com saldo de 1 mil detidos.

Os manifestantes denunciam que as eleições foram fraudulentas para favorecer à Rússia Unida (RU), o partido do primeiro-ministro Vladimir Putin.

Pelos dados oficiais, apurado 99,9% dos votos, a RU obteve 49,3% das cédulas, o que representa 238 dos 450 cadeiras da Duma, a câmara baixa do Parlamento russo.

Todos os setores opositores foram unânimes ao denunciar graves irregularidades no pleito de domingo.

Gennady Zyuganov, o líder do Partido Comunista, a segunda legenda mais votada, denunciou que os resultados do pleito foram falsificados para favorecer o Governo.

Para este dirigente, o Governo atribuiu a si próprio até 15% a mais de votos do que realmente obteve nas urnas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.