Gordon Brown pede investigação sobre ligação de jornais e criminosos

Para Brown, o News International usa métodos 'repugnantes' para conseguir informações

BBC Brasil, BBC

12 de julho de 2011 | 08h54

Ex-premiê disse estar chocado e que grampo foi obra de "criminosos conhecidos"        

 

 

 

O ex-primeiro-ministro britânico Gordon Brown pediu uma investigação sobre as supostas ligações entre os jornais do magnata Rupert Murdoch e o que ele chamou de submundo do crime.

Brown acusou o grupo News International de usar métodos "repugnantes" para conseguir reportagens exclusivas.

O ex-premiê disse à BBC que, na época em que ele era ministro das finanças da Grã-Bretanha, o jornal The Sunday Times teve acesso a seus documentos bancários e legais particulares.

"Estou chocado. Estou genuinamente chocado em saber que isso aconteceu por causa das ligações com criminosos conhecidos que estavam realizando estas atividades, contratados por investigadores que estavam trabalhando para o Sunday Times", disse Brown.

O News International disse que investigará as alegações.

Lágrimas

Gordon Brown não se manifestou sobre os supostos abusos cometidos pela mídia enquanto estava no governo, mas novas alegações de que ele foi alvo dos jornais fizeram com que ele viesse a público comentar o assunto.

Em entrevista à BBC, Brown contou ter chorado quando descobriu que o jornal The Sun tinha informações sigilosas sobre a saúde de seu filho Fraser, que tem fibrose cística, já que ele não queria divulgar a informação.

"(Minha esposa) Sarah e eu ficamos incrivelmente angustiados sobre isso, nós estávamos pensando no futuro dele no longo prazo, estávamos pensando sobre nossa família", ele disse.

Brown afirmou não saber como a informação foi obtida pelo jornal, já que apenas médicos e a família sabiam da doença.

O grupo News International disse estar satisfeito com os métodos usados para obter esta informação.

"Se eu, com toda a proteção e todas as defesas e toda a segurança que um ministro das finanças ou primeiro-ministro tem, sou tão vulnerável a táticas inescrupulosas, táticas ilegais, a métodos usados da maneira que descobrimos - o que acontece com o cidadão comum?", indagou Brown.

"E as pessoas - como a família de Milly Dowler (a menina que desapareceu e depois foi encontrada morta) - que estavam na situação mais desesperadora, no momento mais difícil de suas vidas, em uma dor profunda... e aí descobrem que estão completamente indefesos neste momento de imensa dor de pessoas que usam este métodos cruéis?"

Grampos

O jornal The Guardian revelou que um homem, que mais tarde foi preso por fraude por uma acusação diferente, foi contratado pelo The Sunday Times para conseguir acesso a arquivos de Brown junto a seus advogados.

As novas acusações contra jornais do grupo pertencente ao magnata Ruper Murdoch surgem uma semana depois de alegações de grampo telefônico envolvendo o tabloide News of the World.

O escândalo levou a News International a fechar o jornal News of The World no último domingo, após 168 anos de atividade. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.