Gordon Brown pede que parlamento da UE controle gasto

O escândalo de gastos de legisladores britânicos teve reflexo hoje na Europa, com o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, ordenando seus legisladores europeus a cumprirem regras mais rigorosas de responsabilidade financeira, em meio a temores de que abusos semelhantes existam no Parlamento Europeu. O Partido Trabalhista afirmou hoje que membros que trabalharam como legisladores do Parlamento Europeu irão no futuro publicar mais detalhes de seus gastos, incluindo recibos, a cada seis meses.

AE-AP, Agencia Estado

25 de maio de 2009 | 14h58

Atualmente, os legisladores publicam detalhes limitados sobre seus gastos, e não mostram nenhum recibo. O Partido Trabalhista, de Brown, tem 19 dos 78 legisladores da UE, que formam uma pequena fração dos 785 membros da Assembleia. Há mais de duas semanas revelações sobre legisladores britânicos que usaram o dinheiro público para comprar adubo, TVs de plasma e consertar piscinas ofenderam eleitores e forçaram dezenas de legisladores da Câmara dos Comuns a anunciar uma aposentaria antecipada.

Brown vem pedindo grandes reformas no sistema de gastos do Parlamento Britânico, mas resiste a antecipar as eleições. O Partido Conservador, da oposição, aparece com grande vantagem em relação ao Partido Trabalhista em pesquisas de opinião, e deve vencer a próxima eleição, que Brown precisa convocar até junho de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
InglaterraescândaloGordon BrownUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.