Gore deve 'ancorar' convenção democrata

Tradicionalmente ironizado comosendo um político chato -- mas também reconhecidointernacionalmente como um defensor da Terra, Al Gore deve serum dos protagonistas da Convenção Nacional Democrata de agostonos EUA. Oito anos depois de perder a eleição presidencial maisacirrada da história, Gore, vencedor do Nobel da Paz por suacruzada contra o aquecimento global, está em ascensão entre osmilitantes do partido. Embora a direção democrata ainda não tenha anunciado alista de oradores, o nome do ex-vice-presidente já apareceentre os mais cotados para discursar no evento de Denver, de 25a 28 de agosto, segundo fontes internas. "Ele vai receber uma tremenda recepção", disse o senadorTom Harkin, delegado na convenção. "Muitos de nós ainda sentimos que ele foi roubado", afirmouHarkin, referindo-se à eleição de 2000, vencida por George W.Bush graças a poucas centenas de votos duvidosos na Flórida."Se ele fosse presidente, não teríamos tido essas confusões [dogoverno Bush] nos últimos oito anos", disse. "Também admiramos sua tenacidade em proteger o meioambiente. Muitos compartilhamos da sua visão sobre o que épreciso ser feito", acrescentou. Percorrendo o mundo para alertar contra o aquecimentoglobal, Gore, de 60 anos, costuma atrair multidões e sertratado como astro pop por seus jovens simpatizantes. Em 17 de julho, em Washington, mais de 4.000 pessoaslotaram o Constitution Hall para ouvi-lo. Os ingressos,gratuitos, se esgotaram em menos de 24 horas após a confirmaçãodo evento. "Ele é carismático, é um orador forte, tem uma presença queatrai", disse na platéia o universitário George Chipev, 20anos, citando atributos que até simpatizantes costumam dizerque faltaram na candidatura de Gore à Casa Branca. "Al Gore é uma das poucas figuras públicas desafiando minhageração a fazer alguma coisa. Ele é inspirador", completououtra universitária, Beth Camphouse, 21 anos. Além de ter recebido o Nobel da Paz de 2007 por seu empenhoclimático, Gore também recebeu o Oscar de melhor documentáriono ano passado por causa do seu filme "Uma VerdadeInconveniente", que trata da questão climática. Em 2006, elefoi um dos fundadores da ONG Aliança para a Proteção do Clima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.