Governador Bush manda religar tubo de mulher em coma

A luta pela vida de Terri Schiavo, uma mulher em coma há anos, atingiu níveis dramáticos, desde ontem, quando o governador da Flórida, Jeb Bush (irmão do presidente) deu ordens para que Terri, cujo tubo de alimentação foi removido na semana passada, voltasse a ser reidratada e recebesse alimentação intravenosa, depois que o Senado estadual aprovou uma lei para salvar sua vida.Hoje mesmo, um juiz recusou um pedido do marido para reverter a ordem de Bush. Os especialistas, entretanto, se perguntam se o legislativo e o governador não ultrapassaram os limites ao se sobreporem às leis que regem os tribunais. Segundo o jurista e professor de Harvard Laurence Tribe, a ação do governador e do Senado ?viola princípios pétreos? de uma decisão, de 1990, do Corte Suprema dos Estados Unidos.O tribunal decidiu, num caso do Mississipi, que outra mulher estava sendo alimentada por tubos a sete anos teria direito a morrer se por, ?clara e convincente evidência?, se provasse que era o que ela queria.Terri Schiavo nunca assinou um testamento, no qual as pessoas reivindicam o direito de morrer se entrarem em estado comatoso irreversível. Mas seu marido disse que ela lhe falou que nunca quereria ser mantida viva artificialmente. Os pais afirmam que ela nunca lhes falou disso e estão lutando para manter a filha viva.?Isto significa uma discussão legal como nunca houve?, diz o ex-juiz do Supremo Tribunal de Justiça, Stephen Grimes. O ex-advogado geral da União, Bob Butterrworth, acha que a disputa que está por vir ?poderá ser histórica?.O tubo de alimentação de Terri foi removido na última quarta-feira, depois que um tribunal recusou-se a intervir a favor dos pais. Os médicos disseram que Terri, de 39 anos, morreria dentro de uma semana a 10 dias, no máximo, sem nutrição e água. Ontem, uma ambulância levou-a do hospital de Pinellas Park para o Morton Plant Hospital, depois da determinação do governador. Uma multidão aplaudia, lá fora, quando ela foi retirada.?Estou em êxtase porque ela está sendo alimentada de novo?, disse seu irmão, Bob Schindler Jr. ?Não posso descrever o que sinto.? Horas antes, passara no Senado, uma lei feita especialmente para salvar Terri. Em minutos, os senadores aprovaram enviá-la a Bush. O governador ratificou-as deu a ordem para retomada da assistência a Terri cerca de uma hora depois.?Isto restaura minha fé em Deus?, disse o pai, Bob Schindler.Michael Schiavo, porém, sentiu-se ?profundamente abalado, zangado e triste porque o desejo de minha mulher transformou-se num pingue-pongue político?, conforme transmitiu seu advogado, George Felos. Para o advogado, a lei aprovada pelo Senado ?é inconstitucional. É direito de Terri Saciavo, diante da Constituição da Flórida, não ser mantida viva artificialmente e os tribunais já reafirmaram isso?, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.