Governador de Illinois sofre impeachment

Rod Blagojevich é acusado de tentar vender a cadeira que foi de Obama no Senado

Reuters, AP E NYT, Chicago, O Estadao de S.Paulo

30 de janeiro de 2009 | 00h00

Os senadores do Estado de Illinois destituíram ontem o governador Rod Blagojevich, acusado de tentar vender a vaga que pertencia ao presidente Barack Obama no Senado americano. A moção de impeachment por abuso de poder foi aprovada por unanimidade: 59 a 0.Além da destituição, a decisão dos senadores proíbe Blagojevich de ocupar cargos públicos em Illinois. Além de tentar vender a cadeira que era de Obama, o governador é acusado de tráfico de influência e de pedir a cabeça de jornalistas do Chicago Tribune, que haviam publicado reportagens críticas a seu governo. O escândalo foi revelado em dezembro, quando conversas gravadas pelo FBI mostraram que ele pediu a um dos candidatos à vaga de Obama um emprego em uma fundação sem fins lucrativos com um salário de até US$ 300 mil por ano. O assessor de outro pretendente chegou a oferecer US$ 1 milhão pelo cargo. Blagojevich também havia pedido um emprego para a mulher em conselho corporativo - ela acabou demitida na semana passada do cargo que ocupava numa associação que arrecadava donativos em Chicago. O governador chegou a ser preso por menos de 24 horas em dezembro, mas foi solto após pagar fiança. Contrariando os pedidos dos congressistas do Estado e do próprio Obama, Blagojevich não renunciou ao cargo e nem abriu mão da prerrogativa de indicar um substituto para a vaga deixada pelo presidente no Senado federal. No fim, ele acabou nomeando Roland Burris, ex-procurador-geral de Illinois, nome que foi aceito pelos congressistas. Blagojevich é o primeiro governador da história de Illinois a perder o cargo em um processo de impeachment. Ele será substituído por seu vice, Pat Quinn. Casos de corrupção envolvendo o chefe do Poder Executivo estadual, no entanto, são comuns. Três dos últimos sete governadores de Illinois foram presos por corrupção. Antes de Blagojevich, Otto Kerner (governador entre 1961 e 1968), Dan Walker (1973-1977) e George Ryan (1999-2003) foram parar na cadeia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.