Governador de Najaf pede ajuda ao FBI

O governador de Najaf, Haider Mehadi, pediu hoje aajuda do FBI (polícia federal americana) nas investigações do atentado a bomba à mesquita do Imã Ali, na sexta-feira. A informação foi dada por um funcionário dos EUA que não quis identificar-se. A explosão matou 125 pessoas, entre elas o aiatolá Mohammed Baqir al-Hakim, líder do principal grupo xiita do país.A polícia iraquiana anunciou ontem ter capturado 19 suspeitos, incluindo vários estrangeiros, alguns dos quais teriam confessado ter vínculos com a rede terrorista Al-Qaeda. Dois iraquianos e dois sauditas envolvidos deram informações que levaram à captura dos outros 15 (iraquianos, kuwaitianos e jordanianos), segundo a polícia. No entanto, a Arábia Sauditapôs hoje em dúvida a participação de seus cidadãos no atentado e exigiu provas dessas acusações.Marcha - Mais de 300 mil muçulmanos xiitas partiramhoje a pé de Bagdá em direção a Najaf, situada 180 quilômetros ao sul, em uma peregrinação fúnebre em memória do aiatolá assassinado. Antes, milhares de pessoas desfilaram pelas ruas de Bagdá clamando por vingança, muitas se golpeando no peito. A procissão segue um caminhão com um caixão simbólico representando o aiatolá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.