AP Photo/Hans Pennink
AP Photo/Hans Pennink

Governador de NY derrota atriz Cynthia Nixon e vai concorrer a 3º mandato

Andrew Cuomo teve uma vantagem de dois votos para um sobre a ex-atriz do seriado Sex and the City, e vai disputar pela terceira vez o governo do estado de Nova York

O Estado de S.Paulo

14 Setembro 2018 | 00h30

O governador Andrew Cuomo, de Nova York, venceu com facilidade as primárias do partido Democrata sobre sua rival a atriz e ativista Cynthia Nixon. Ele vai concorrer a um terceiro mandato pelo governo do estado de Nova York. Com 85% dos votos contados, Cuomo alcançou 65,7% dos votos contra 34,3% de Cynthia Nixon.

Cuomo conseguiu o apoio de quase todos os líderes democratas mais poderosos do estado - autoridades eleitas, líderes partidários, sindicatos trabalhistas e integrantes do setor imobiliário - para derrotar Nixon, liderada por uma margem insuperável de dois para um, com 80%dos distritos contados. 

As primárias democratas em Nova York mostraram, assim como ocorreu em 2016 nas primárias presidenciais entre Hillary Clinton e Bernie Sanders, um partido rachado e com uma ala mais à esquerda mostrando resiliência e capacidade de mobilização.

Cinthia Nixon cortejou uma insurgência liberal que exige ação imediata sobre imigração, moradia e assistência médica, enquanto Cuomo viu seu histórico de realizações ser desafiado pela concorrente. Ele apostou em sua imagem de político experiente mesmo sabendo que sua ligação com o establishment democrata poderia provocar perda de votos.

A tática deu certo. com cerca de um terço dos relatórios de distritos, Cuomo estava batendo Nixon por uma margem de 2 para 1 - a mesma proporção de sua vitória em 2014. A corrida consolidou a posição de Cuomo como uma força na política de Nova York e um estrategista impiedoso com pouca consideração pela diplomacia.

A corrida teve um final amargo. Seus últimos dias foram consumidos em controvérsia por uma mala direta enviada pelo Partido Democrata do estado acusando Cinthia Nixon de anti-semitismo. A campanha de Cuomo reconheceu na quarta-feira que agentes políticos ligados ao governador escreveram e aprovaram o anúncio, o que o governador negou. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.