Andrew Kelly/Reuters
Andrew Kelly/Reuters

Governador republicano sabia de caso da ponte, diz ex-servidor

Em carta, ex-chefe da autoridade portuária diz ter provas de que Chris Christie estava ciente do caso

O Estado de S. Paulo,

31 de janeiro de 2014 | 20h39

NEW JERSEY - O ex-chefe da Autoridade Portuária de Nova York e New Jersey David Wildstein, que supervisionou o fechamento parcial da Ponte George Washington no escândalo envolvendo o governador de New Jersey, Chris Christie, disse que o político sabia da decisão quando ela foi tomada e tem evidências para provar isso.

Wildstein divulgou uma carta nesta sexta-feira, 31, com a informação que contradiz a versão de Christie de que ele desconhecia o caso.

O fechamento parcial da ponte que liga Fort Lee a Nova York teria sido acertada entre Wildstein e a vice-chefe de gabinete de Christie, Bridget Anne Kelly, para criar caos no trânsito e punir o prefeito democrata Mark Sokolich, que não apoiou a campanha à reeleição do governador republicano. E-mails entre os dois funcionários revelaram o caso. Wildstein deixou o cargo em dezembro e Bridget foi demitida em janeiro.

O escândalo afetou a popularidade do governador, principal nome do Partido Republicano para as eleições presidenciais de 2016.

"Existem evidências ligando o senhor Christie ao conhecimento sobre o fechamento das vias, no período em elas estiveram fechadas, ao contrário do que ele declarou na conferência de imprensa de duas horas (há três semanas)", diz a carta.

Na quinta-feira, o ex-prefeito de Nova York e também republicano Rudolph Giuliani disse em entrevista à rádio WABC acreditar que o governador estava consciente do caso quando ele ocorreu. "As chances de que ele sabia são de 50-50", disse. / NYT

Tudo o que sabemos sobre:
Chris ChristieBridgegate

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.