Twitter Constituyente Venezuela/Reprodução
Twitter Constituyente Venezuela/Reprodução

Governadores da oposição prestam juramento à Constituinte na Venezuela

Processo eleitoral foi questionado pela oposição e comunidade internacional; aliados de Maduro conquistaram 17 das 23 regiões do país

O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2017 | 20h42

CARACAS - Quatro governadores da oposição, eleitos no dia 15 na Venezuela, prestaram juramento no domingo à Assembleia Constituinte, cedendo à exigência dos constituintes, que consideram ilegítimos.

"Governadores eleitos da Ação Democrática prestaram juramento e se subordinaram à @ANC_ve", assinalou a Constituinte no Twitter junto a uma foto na qual aparecem os quatro diante de Delcy Rodríguez, que preside o organismo.

Países latino-americanos pedem auditoria independente de eleição na Venezuela

EUA condenam falta de 'liberdade e imparcialidade' de eleições na Venezuela 

Os quatro governadores pertencem à Ação Democrática, liderada pelo veterano parlamentar Henry Ramos Allup e um dos partidos que dominaram a política venezuelana até a chegada do chavismo ao poder em 1999.

São eles: Antonio Barreto, do Estado de Anzoátegui (nordeste); Alfredo Díaz, de Nueva Esparta (nordeste); Ramón Guevara, de Mérida (oeste), e Laidy Gómez, de Táchira (oeste). O opositor Juan Pablo Guanipa, eleito pelo Estado de Zulia (oeste), lamentou a decisão de seus companheiros de subordinar-se à Constituinte.

Ex-procuradora da Venezuela acusa Odebrecht de se esforçar para esconder provas

"Quando o povo te implora que não o abandone, a humilhação de um líder é um meio para conseguir liberdade", justificou-se Gómez no Twitter antes da cerimônia de juramento.

A primeira eleição para governador desde 2012 na Venezuela ocorreu com um ano de atraso, mas foi vista pela oposição como um plebiscito contra o presidente Nicolás Maduro. Durante a votação, atrasos, mudanças de centros eleitorais e propaganda pró-candidatos do governo foram algumas das reclamações. Aliados de Maduro conquistaram 17 dos 23 estados do país. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Venezuela [América do Sul]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.