REUTERS/Carlos Jasso
REUTERS/Carlos Jasso

Governadores declaram apoio às propostas de López Obrador

Presidente eleito recebeu o respaldo para os projetos focados na área de segurança pública, corte de gastos e defesa dos direitos dos mexicanos frente aos Estados Unidos

O Estado de S.Paulo

13 Julho 2018 | 02h01

CIDADE DO MÉXICO - A maioria dos governadores do México garantiram apoio ao presidente eleito Andrés Manuel López Obrador em suas principais propostas para a segurança, corte de gastos e as relações com os Estados Unidos. A declaração conjunta foi divulgada nesta quinta-feira, 12, pelo presidente da Conferência de Governadores e Governador do Estado de Chiapas, Manuel Velasco, após reunião entre os líderes estaduais e o futuro mandatário.

+ Obrador obtém maioria no Congresso e propõe a Trump criação de empregos contra imigração ilegal

Segundo Velasco, Lopes Obrador "terá amigas, amigos e aliados" entre os governantes estaduais em três medidas fundamentais: a nova estratégia de segurança, o plano de austeridade na economia e a defesa dos direitos dos imigrantes mexicanos que residem nos Estados Unidos, assim como "o completo processo de renegociação comercial" com Washington.

O anúncio de apoio dos governadores ocorre na véspera da visita de vários membros do gabinete do presidente americano Donald Trump ao México, incluindo o Secretário de Estado, Mike Pompeo, e o assessor especial da Casa Branca e cunhado de Trump, Jared Kushner. O presidente eleito Lopes Obrador, de políticas à esquerda, assegurou que irá negociar o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês) com Washington.

+ López Obrador diz que fará referendo sobre seu mandato em três anos 

Apesar do apoio, alguns governadores ainda demonstram ter preocupações com algumas promessas cruciais feitas por López Obrador. Na área de segurança, os políticos acreditam ser necessário uma maior coordenação entre as forças policiais e maior atenção ao tráfico de drogas e falta de recursos. Neste sentido, os líderes estaduais afirmaram que estão dispostos a "discutir todos os assuntos, sem se limitar a nada", afirma Velasco.

Em troca do apoio, López Obrador se comprometeu a não empregar instrumentos federais como "represália" contra governadores, como reter verbas federais. O presidente eleito também pediu o apoio dos líderes estaduais para sua proposta de descentralização e redução dos diversos órgãos federais que atuam em diversos Estados. "Da forma como está hoje não é possível, precisamos economizar", afirmou Lopes Obrador.

+ ANÁLISE: Uma nova era no México

Outro ponto discutido pelos governadores com o presidente eleito foi a destinação de mais recursos aos Estados e o compromisso de luta contra a corrupção. Neste último caso, López Obrador afirmou que a corrupção no México "é como um câncer" que deve ser combatido. 

+ MOISÉS NAÍM: Tentações de Obrador

Os únicos governadores que não compareceram à reunião com López Obrador foram Jaime Rodrígues, de Nuevo León e candidato derrotado na última eleição presidencial, e Aristóteles Sandoval, de Jalisco. //ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.