Governo abandona plano de declarar toque de recolher em Bangcoc

Autoridades acreditam que medida poderia gerar um impacto adverso entre os manifestantes. Ao menos 25 pessoas já foram mortas e 200 feridas nos conflitos

EFE

16 Maio 2010 | 07h50

Sem fim. Manifestações começaram há quatro dias, causando ao menos 25 mortos, e ainda não foi encontrada uma solução pacífica. Foto: Barbara Walton/EFE

 

BANGCOC - O governo da Tailândia declarou neste domingo, 16, que voltou atrás no plano de declarar toque de recolher na zona central de Bangcoc devido à violência gerada pelos confrontos entre manifestantes e militares, que já deixaram ao menos 25 mortos e 200 feridos.  

 

O anúncio foi feito pelo general Aksara Kerdhpol, logo após uma reunião com o primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva e outros chefes e autoridades militares.

 

"Não é necessário aplicar essa medida agora porque tememos que isso possa gerar um impacto adverso", disse o general à imprensa.

 

Veja também:

Forças Armadas decretaram norte de Bangcoc como 'zona de tiroteio livre'

Exército confirma toque de recolher em Bangcoc

 

O governo e o Exército tailandês haviam indicado horas atrás que implementariam um toque de recolher em determinadas áreas da zona central de Bangcoc para tentar diminuir os confrontos que começaram na quinta-feira, 13, entre manifestantes antigovernamentais - os camisas vermelhas - e soldados locais.

 

Apesar disso, ainda não está claro se o governo manterá em vigor o prazo dado aos manifestantes de saírem da zona de conflito até a manhã de segunda-feira.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.