Governo acusa as Farc pela morte de autoridades

O governador do departamento (estado) de Antioquia e um ex-ministro foram assassinados nesta segunda-feira pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), segundo fontes do governo, no mesmo dia em que o presidente Alvaro Uribe condicionou um possível "intercâmbio humanitário"de seqüestrados por guerrilheiros presos.Além de fontes do Palácio Presidencial, a morte dogovernador do departamento (estado) de Antioquia, Guillermo Gaviria, e do ex-ministro da Defesa Gilberto Echeverri, foi confirmada pela filha de Echeverri. "O presidente nos ligou,confirmando que o governador e meu pai morreram, junto com alguns policiais e soldados", disse Lina Echeverri.Junto com Gaviria, de 39 anos, e Echeverri, um alto assessor em assuntos de segurança de Gaviria e conselheiro de paz regional em Antioquia, foram assassinados oito soldados, informou o senador Luis Guillermo Vélez."A informação que tenho da Casa de Nariño (sede dogoverno) é de que as Farc assassinaram o governador, o ex-ministro e um grupo de oito soldados", afirmou o senador Vélez aos jornalistas na sede do Congresso.Uma rádio de Medellín divulgou um comunicado que seria das Farc, confirmando a morte de Gaviria e Echeverri. "Num confronto entre a guerrilha da Farc e do exército facista, o governador Guilhermo Gaviria e Gilberto Echeverri morreram,assim como os outros prisioneiros", informou o comunicado. Os militares ainda não comentaram a informação.Grandes Acontecimentos InternacionaisESPECIAL COLÔMBIA

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.