Governo acusa Cartum pelo ataque a um campo de refugiados que matou 12

O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2011 | 03h06

Um campo de refugiados no Sudão do Sul foi alvo de um ataque aéreo do Sudão. Autoridades afirmam que 12 pessoas morreram no bombardeio ao acampamento, que fica a menos de 50 quilômetros da fronteira entre os dois países. De acordo com testemunhas, foram quatro explosões. O governo do presidente sudanês, Omar Bashir (foto), negou a acusação. A violência ao longo da fronteira precariamente definida depois da independência do Sudão do Sul, em julho, causou um aumento nas tensões entre antigos rivais que travaram uma guerra civil que matou cerca de 2 milhões de pessoas entre 1983 e 2005.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.