Governo afegão acusa Otan de matar 52 civis em ataque no sul do país

Segundo a aliança ocidental, uma investigação foi aberta para esclarecer as mortes

estadão.com.br

26 de julho de 2010 | 13h00

CABUL - O presidente afegão, Hamid Karzai, disse nesta segunda-feira, 26, que a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) realizou há três dias um ataque na província de Helmand, no sul do país, que matou 52 civis.

Veja também:

link Relatórios dos EUA sobre guerra ao Taleban vazam na internet

De acordo com um porta-voz da presidência afegã, as mortes aconteceram durante confronto entre tropas da Otan e rebeldes do Taleban. Mortes de civis são o maior motivo de atrito entre Karzai e a Otan.

Segundo a aliança ocidental, uma investigação foi aberta para esclarecer a morte dos civis. "Há uma investigação em curso sobre o que aconteceu, e por enquanto não há evidências que confirmem as acusações", disse um porta-voz da Isaf.

Se confirmada, a morte dos 52 civis será o incidente mais violento deste tipo desde o começo da guerra. Em setembro do ano passado, 30 civis morreram em um ataque aéreo na província de Kunduz.

Com informações da Efe e da Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoOtanTalebanKarzai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.