Governo afegão confirma libertação de alemã seqüestrada

Durante ação policial, três pessoas foram detidas; seqüestradores não eram talebans ou terroristas

Efe,

20 de agosto de 2007 | 02h39

O governo do Afeganistão confirmou nesta segunda-feira, 20, que a alemã seqüestrada no sábado passado em Cabul por "um grupo criminoso" foi liberada nesta madrugada em uma operação policial no oeste da capital. "Na noite passada, por volta da 1 hora (17h30 de domingo em Brasília), a polícia cercou uma casa na zona oeste de Cabul e encontrou a mulher alemã", disse o porta-voz do Ministério do Interior, Zemarai Bashari. Durante a ação policial foram detidas três pessoas, detalhou o porta-voz, que insistiu em que os seqüestradores pertenciam a um grupo criminoso e não eram talebans ou terroristas. A alemã, identificada como Christina M., de 31 anos, é responsável pelo escritório de Cabul da organização cristã "Ora International", com sede em Korbach, na Alemanha. Um grupo de homens armados seqüestrou a alemã no último sábado, quando ela estava almoçando em um restaurante da capital. No domingo, os seqüestradores apareceram com a refém num vídeo exibido pela emissora afegã Tolo TV, no qual reivindicavam a libertação de vários companheiros presos em troca da refém. Os seqüestradores asseguraram na gravação que não eram "más pessoas" ou talebans, mas "um grupo especial". Os seqüestros de estrangeiros na capital afegã são pouco freqüentes, embora nas últimas semanas tenham acontecido vários na zona leste do país.

Tudo o que sabemos sobre:
alemã seqüestradaAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.