Governo afegão responsabiliza Reino Unido por 'impostor' Taleban

Britânicos teriam levado falso comandante insurgente para negociar com o presidente Hamid Karzai

BBC

26 de novembro de 2010 | 09h09

WASHINGTON - O chefe de gabinete de Hamid Karzai, presidente do Afeganistão, responsabilizou nesta sexta-feira, 26, as autoridades do Reino Unido por levarem um falso comandante do Taleban para negociar com o governo afegão, o que causou desconforto nas autoridades ocidentais e de Cabul.

 

Um homem que se dizia ser o mulá Mansour, um alto comandante taleban, foi levado a Cabul para conversar com Karzai. Foi constatado posteriormente que o homem não passava de um comerciante de Quetta, cidade paquistanesa.

 

Acredita-se que o impostor desapareceu depois de receber centenas de milhares de dólares por sua cooperação com o processo de reconciliação oferecido pelo governo afegão ao Taleban.

 

A embaixada britânica em Cabul se recusou a confirmar ou negar as afirmações, feitas pelas autoridades afegãs em uma entrevista com o jornal americano Washington Post. A justificativa do silêncio seriam motivos operacionais, segundo um diplomata.

 

As reuniões do governo afegão com o Taleban, verdadeiras ou falsas, têm sido consideradas mais como um estabelecimento de contatos que de negociações. O diálogo para encerrar os conflitos no país asiático são negados pelos insurgentes.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoimpostorTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.