Governo americano muda regras contra imigração ilegal

Policiais terão autonomia para decidir se presos serão levados a tribunais; objetivo é acelerar deportação de criminosos

NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2011 | 03h07

NOVA YORK - O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos pretende revisar todos os processos de deportação que estão nos tribunais do país e iniciar um programa nacional para treinamento de promotores públicos e agentes da polícia. O objetivo é acelerar a deportação de criminosos condenados e suspender os processos de muitos imigrantes ilegais sem registros criminais.

O objetivo da triagem dos cerca de 300 mil processos pendentes é permitir que os juízes atualmente sobrecarregados concentrem-se nos casos de deportação de estrangeiros que cometeram crimes graves ou representem riscos à segurança nacional.

A revisão dos processos e o treinamento para instruir os agentes de imigração a filtrar caso de deportações levarão a mudanças nos tribunais de imigração e nas estratégias da polícia.

De acordo com documento obtido pelo jornal The New York Times, autoridades do departamento divulgaram as diretivas para o programa de treinamento e as primeiras etapas da revisão dos processos. Ambas são medidas que procuram dar autonomia aos policiais para decidir se um caso deve ou não ser levado adiante.

Segundo um memorando de 17 de junho, John Morton, diretor da Agência de Imigração e Aduana, sugeriu ao governo Barack Obama que tente reduzir o número de deportações de imigrantes ilegais que sejam jovens estudantes, membros do serviço militar, pessoas idosas, ou parentes próximos de cidadãos americanos, entre outros.

Embora o anúncio tenha aumentado as expectativas das comunidades latinas e outras comunidades de imigrantes, até agora a polícia vem agindo esporadicamente. O governo expulsou um grande número de imigrantes ilegais, quase 400 mil por ano desde 2009.

"Estamos concedendo poderes para os advogados, no plano nacional, para assumirem funções similares às dos promotores federais, que decidem que casos levar a processo", disse um funcionário do alto escalão do departamento.

Na primeira etapa da revisão dos processos pendentes, que começa quinta-feira, os advogados da agência de imigração examinarão todos os casos que acabaram de chegar aos tribunais de imigração em todo o país, com o objetivo de encerrar casos com baixa prioridade.

Ao mesmo tempo, casos de imigrantes qualificados como alta prioridade, serão acelerados, para que os juízes decidam rapidamente sua deportação.

O objetivo é reduzir as deficiências que retardam a deportação de estrangeiros criminosos e outros processos prioritários, evitando que os casos menos graves fiquem emperrados nos tribunais de imigração", diz o documento. / NYT

Tudo o que sabemos sobre:
EUAImigração ilegal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.