Governo angolano e Unita debatem trégua

O vice-comandante das Forças Armadas de Angola, general Geraldo Nunda, e o comandante do grupo rebelde Unita, general Abreu Kamorteiro, mantiveram conversações nas linhas de combate nesta sexta-feira e concordaram em começar a negociar uma trégua, informou uma declaração do Exército.Esta foi a primeira reunião entre os inimigos desde que o governo suspendeu, nesta semana, as ofensivas militares contra os rebeldes, afirmando que queria negociar um cessar-fogo em todo o país, que poderia abrir caminho para negociações com vistas a acabar com a guerra civil de mais de 20 anos.Os dois oficiais, acompanhados de suas respectivas delegações, encontraram-se em Cassamba, um vilarejo cerca de 700 quilômetros a leste da capital, Luanda, diz a declaração. Eles concordaram em reunir-se novamente na segunda-feira, para retomar as negociações.Ambos os lados devem estabelecer acampamentos na cidade de Luena, nas proximidades, de acordo com a declaração. Não foram revelados mais detalhes. Ainda não está claro quem é o novo responsável pela Unita, desde que o Exército matou o líder do grupo, Jonas Savimbi, e prendeu dezenas de seus oficiais do alto escalão, no mês passado.Kamorteiro era o comandante de campo de Savimbi. Savimbi controlava toda a estratégia. Na quarta-feira, o governo havia dito que queria negociar um cessar-fogo com a Unita e retomar a implementação do fracassado acordo de paz de 1994.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.