Governo aprova novas casas em assentamento

O município de Jerusalém aprovou um projeto para a construção de 2.610 casas no assentamento de Givat Hamatos, em Jerusalém Oriental ocupada e anexada, afirmou ontem uma ONG à agência France Presse. A comissão de planejamento de Jerusalém se reunirá hoje para examinar a construção de 1.100 novas casas em Gilo, também em Jerusalém Oriental. Israel considera Jerusalém sua capital "única e indivisível". Mas, para a comunidade internacional, a ocupação da parte leste da cidade, em 1967, é ilegal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.