Governo argentino aceita proposta de troca de dívida

O governo argentino acertou com um grupo de investidores a reabertura de uma troca de bônus da dívida que ficaram de fora da reestruturação de 2005, disse uma pessoa próxima às negociações à Dow Jones neste domingo.

AE-DJ, Agencia Estado

20 de setembro de 2009 | 20h52

A troca envolve cerca de US$ 20 bilhões em bônus (valor de face) que a Argentina deixou de pagar em 2001 após uma grave crise financeira. Investidores que detém pouco menos de US$ 8 bilhões desses bônus concordaram com a proposta, disse a fonte, que pediu para não ser identificada.

A reabertura da operação terá condições similares às de 2005 mas menos vantajosas para os detentores dos bônus, disse a fonte. Como parte da proposta, apresentada pelo Barclays Capital em nome de um grupo de investidores, o governo argentino não terá que fazer pagamentos em dinheiro como em 2005. Em vez disso, emitirá um novo bônus, com cupom de 13.50% e vencimento em 2016.

O bônus 2016 será emitido de acordo com as leis de Nova York, simultaneamente à reabertura da troca de 2005. O grupo de investidores também se comprometeu a emprestar até US$ 1 bilhão ao governo argentino, além de cobrir os custos de subscrição, disse a fonte, acrescentando que a emissão desses novos bônus será aberta a qualquer investidor interessado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dívidaArgentinabônus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.