Governo argentino diz que situação social está sob controle

O governo disse que a situação social argentina está sob controle nesta terça-feira, mas a província de Salta continuava em estado de tensão após novo confronto entre grupos de desempregados e policiais. O secretário de Segurança Interna, Enrique Mathov, advertiu sobre a existência de "grupos políticos" que se movimentam de um ponto para outro do país promovendo distúrbios, embora não os tenha identificado."Por mais justas que sejam as exigências, ninguém pode fazer justiça com as próprias mãos", disse Mathov, que condenou "estes possessos que querem agarrar o mundo todo a tiros". Os confrontos que começaram no domingo, quando a Guarda Civil tentava retirar os desempregados que bloqueavam uma estrada há 20 dias, deixaram dois mortos e pelo menos 40 feridos entre militares e civis.Hoje, o enterro de dois jovens mortos nos confrontos de domingo, acompanhado por cerca de 1.000 pessoas, fez recrudescer o clima de tensão e violência. Dezenas de desempregados se reagruparam e atiraram pedras contra os policiais, que reprimiram os manifestantes com balas de borracha. Pelo menos uma pessoa teria ficado ferida nos incidentes, segundo a imprensa local.Para o governador de Salta, Juan Carlos Romero, os atos de violência registrados nos últimos dias em sua província não têm relação com os pedidos dos desocupados. "Se neste país vamos tolerar a luta armada como um mecanismo de protesto, vamos ter sérios problemas", afirmou Romero.A economia do país não consegue recuperar-se de uma severa recessão que desde 1998 já deixou 4 milhões de pessoas com problemas de trabalho e quase 15 milhões de pobres, em um total 37 milhões de argentinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.