Governo argentino e setor rural ensaiam aproximação

O governo argentino e os produtores rurais ensaiam uma nova aproximação para tentar superar o conflito que já dura mais de um ano. O encontro será realizado na próxima semana, e sua convocação foi a primeira medida tomada pelo novo ministro de Agricultura, Julián Domínguez, que assumiu o cargo ontem. O gesto servirá para reduzir o nível de tensão entre o setor e o governo.

MARINA GUIMARÃES, Agencia Estado

02 de outubro de 2009 | 18h12

O convite foi feito durante a cerimônia de posse de Domínguez, na Casa Rosada. Desde o início do conflito, em março do ano passado, que os líderes rurais não comparecem aos atos oficiais para os quais foram convidados, como a posse do antecessor de Domínguez, o ex-secretário de Agricultura, Carlos Cheppi, em julho de 2008.

O gesto dos líderes de ir à posse de Domínguez e o convite podem indicar alguma mudança no conflitante relacionamento dos produtores rurais e o governo.

Os produtores, no entanto, continuam desconfiados sobre a real autonomia que o Ministério vai ter para decidir sobre os assuntos ligados à agricultura e pecuária. Com o preço da soja no nível mais baixo dos últimos meses, em US$ 337 a tonelada, não só o bolso dos produtores se ressente, mas também as contas fiscais, já que a arrecadação do governo com as retenções, os impostos de exportações, é menor.

A próxima semana será de atenção nos passos de Domínguez, que vão indicar se o governo argentino se manterá no caminho afastado do setor agropecuário ou não.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinaruralistasagricultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.