Governo argentino inicia reforma ministerial

O governo argentino deu início formal às mudanças no gabinete com a posse do novo secretário de Agricultura, Carlos Cheppi, que assumiu hoje o cargo, e com a substituição de Alberto Fernández por Sergio Massa na chefia de Gabinete da Presidência - equivalente à Casa Civil no Brasil - que assumirá amanhã. O novo chefe de Gabinete tem 36 anos, a mesma idade do ex-ministro de Economia, Martín Lousteau, que criou a medida de aumento das alíquotas de exportações com seu mecanismo de taxação progressiva e provocou a maior crise do governo de Cristina Kirchner.Fernández defendia uma cara nova para a gestão de Cristina, diferente da de seu marido. O ministério de Cristina é praticamente o mesmo que acompanhou Néstor Kirchner. Os pedidos de mudanças no governo são cada vez mais intensos por parte dos mercados, oposição e entidades. Em sua primeira entrevista à imprensa, o novo chefe de Gabinete disse que não ocupará o papel que Fernández ocupou nas frustradas negociações com o setor agropecuário. "Para isso, está o novo secretário de Agricultura, que é um homem capaz", resumiu Massa, sinalizando que Cheppi teria o poder de decisão que Urquiza não teve em seu cargo.Desprestigiado pelo estilo do governo Kirchner de concentrar as negociações e decisões, Urquiza foi afastado das conversas com o setor desde que os ruralistas iniciaram os protestos em março. "Estou convencido de que a gestão de Cheppi junto aos seus colaboradores servirá para afiançar este modelo de crescimento com inclusão social", afirmou Fernández.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.