Reprodução/AFP
Reprodução/AFP

Governo argentino usa olimpíada para reivindicar Malvinas

'Para competir na Inglaterra, treinamos em solo argentino', provoca o vídeo

Ariel Palácios / Correspondente / Buenos Aires,

04 Maio 2012 | 16h20

BUENOS AIRES – Praias com pinguins, campos de estepe, nuvens cinzas. A sequência de imagens de um spot publicitário apresentado nesta semana em Buenos Aires levaria um argentino a pensar que tratava-se da gélida Patagônia. Mas, logo aparece a torre do campanário da catedral de Stanley, capital das Malvinas, imagem conhecida desde os tempos da guerra de 1982. Nesse momento, uma legenda confirma o lugar e a hora do dia: "Ilhas Malvinas 6:00 horas". Subitamente, um jovem sai de uma casa. "Fernando Zylberberg: Atleta olímpico argentino para as Olimpíadas de Londres 2012" indica a nova legenda.

Veja também:

tabela ESPECIAL: Guerra das Malvinas

Zylberberg sai correndo pelas ruas e campos das ilhas. Depois, se detém para fazer aquecimento. Flexiona sobre as areias de uma praia. Beija rapidamente o chão. Volta a correr. A música é de apoeteose. Nesse instante, enquanto Zylberberg se detém para observar as desoladas colinas, surge a legenda final: "Para competir em solo britânico treinamos em solo argentino".

"Propaganda barata e falta de respeito" foi o comentário em Stanley (rebatizada pelo ditador Leopoldo Fortunato Galtieri de "Puerto Argentino"). Os "kelpers" (denominação dos ilhéus) reclamaram da gravação, feita sem a autorização do governo local. Além disso, protestaram contra a imagem do atleta correndo na frente do memorial que a cidade possui para homenagear os mortos ingleses e kelpers na guerra, além das baixas ocorridas na Primeira Guerra Mundial na batalha naval das Falklands. De quebra, o atleta exercita os tríceps na frente do "The Globe", pub do vilarejo conhecido por ser o maior reduto "anti-argentino" das ilhas.

Veja o vídeo abaixo:

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.