Governo australiano cede a exigência de imigrantes

Em um aparente relaxamento em sua política para os estrangeiros que solicitam asilo no país, o governo australiano decidiu transferir centenas de imigrantes ilegais de um polêmico centro de detenção para outros locais de confinamento. O governo também voltou atrás e resolveu aceitar as exigências de nove adolescentes que ameaçavam se matar caso não fossem retirados do centro de detenção de Woomera, localizado no distante deserto ao norte do Estado de South Australia. Os jovens, cinco afegãos e quatro iraquianos, que não estão acompanhados pelos pais, estão agora sob cuidados do departamento de serviços humanos.O governo não informou para onde os adolescentes foram levados. Mas acredita-se que eles tenham sido transferidos para orfanatos em Adelaide, capital de South Australia. Um grupo de nove pessoas, todas com 18 anos, permaneceu em Woomera. Segundo o detido Hassan Varasi, todos os que permaneceram no centro de detenção cometerão suicídio caso não sejam transferidos ou libertados.Com a crise dos imigrantes entrando em seu 14º dia, o governo australiano foi aconselhado a fechar o campo de Woomera, uma antiga base utilizada para testes de mísseis, localizado em uma área desértica a 1.800 quilômetros a oeste de Sydney.Centenas de imigrantes que solicitaram asilo na Austrália estão realizando uma greve de fome. Os manifestantes exigem que o governo analise com rapidez os pedidos de asilo e que sejam transferidos do campo. O ministro da Imigração, Philip Ruddock, afirmou hoje que o centro de detenção de Woomera deverá ser esvaziado assim que outros locais sejam construídos. Segundo ele, o fechamento total de Woomera não está descartado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.