Governo boliviano inicia reforma ministerial

O presidente da Bolívia, Gonzalo Sánchez de Lozada, fechou nesta terça-feira um acordo que permitirá a entrada da Nova Força Republicana (NFR) no governo que, prestes a completar um ano no poder, enfrenta uma grave crise econômica. O ingresso da NFR - até o momento o segundo maior grupo de oposição - no governo levou os 12 ministros de Estado a renunciar, para dar espaço a uma nova composição de forças políticas no gabinete. Segundo Carlos Sánchez Berzaín, secretário-geral do Movimento Nacionalista Revolucionário, principal partido de apoio à administração, o ministério será ampliado para 14 pastas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.