Governo brasileiro vai enviar ajuda humanitária à Gaza

Nove toneladas de medicamentos e alimentos seguem para região dos conflitos; Amorim visitará Oriente Médio

Carolina Ruhman, da Agência Estado,

08 de janeiro de 2009 | 15h57

O governo brasileiro informou que vai enviar ajuda humanitária para a Faixa de Gaza. De acordo com comunicado do Ministério das Relações Exteriores, o governo enviará na sexta-feira, 8, nove toneladas de medicamentos e alimentos para as pessoas afetadas pelo conflito com Israel.       Veja também: ONU para ajuda a Gaza após ataque israelense Hezbollah nega ter disparado foguetes contra Israel 'Crianças crescem em bunkers', diz brasileiro em Israel Hamas mata colaboradores e membros do Fatah, diz jornal Mísseis do Líbano contra Israel ameaçam 2º front da guerra Trégua por 3h é piada, diz ex-relator da ONU brasileiro  Especial traz mapa com principais alvos em Gaza  Linha do tempo multimídia dos ataques em Gaza  Brasileiros que vivem na região falam sobre o conflito Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel  Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos  Veja imagens de Gaza após os ataques        Segundo o ministério, a decisão foi tomada após pedido da Delegação da Autoridade Nacional Palestina em Brasília. A ajuda será enviada em avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que deve aterrissar em Amã, na Jordânia. Dali, os donativos serão transportados à Faixa de Gaza, com o apoio de uma organização de caridade.   Ajuda brasileira é enviada para Gaza. Foto: Fabio Motta/AE   O Exército israelense fez nos últimos dois dias duas pausas de três horas dos bombardeios para ajudar a entrega de ajuda humanitária à população do território sob ataque.   Visita oficial   O ministro das Relações Exteriores Celso Amorim visitará Israel, Síria, Jordânia e os territórios palestinos entre o domingo e a próxima terça-feira para tentar contribuir para o fim do conflito armado na Faixa de Gaza, informaram nesta quinta fontes oficiais.   Em seu primeiro dia, Amorim visitará Damasco para se reunir com o presidente sírio, Bashar al-Assad, e o ministro de Exteriores, Walid al-Mualen. No mesmo dia, viajará a Jerusalém, onde se encontrará com sua colega israelense, Tzipi Livni, segundo um comunicado do Ministério das Relações Exteriores.   Na segunda-feira, Amorim seguirá para Ramallah para se reunir com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, o primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad, e seu colega Riad Maliki. No último dia de sua visita, o chanceler se dirigirá a Amã, onde será recebido pelo rei jordaniano, Abdullah II, e o ministro de Exteriores, Salah Bashir.   O objetivo do giro pelo Oriente Médio é "apoiar os esforços" para um cessar-fogo "imediato", para aliviar a situação das vítimas e para estabelecer uma paz "duradoura" na região, indicou o comunicado.   (Com Efe)  

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelGazaBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.