Governo Bush se contradiz sobre eleição no Iraque

A segunda maior autoridade do Departamento de Estado dos EUA contradisse o secretário de Defesa, Donald Rumsfeld, afirmando que as eleições de janeiro no Iraque estarão "abertas a todos os cidadãos". Rumsfeld havia dado a entender que poderia não haver votações nas partes mais violentas do país."Teremos uma eleição que será livre e aberta e que tem de estar aberta a todos os cidadãos. Teremos de fazer o máximo para chegar às áreas problemáticas também", afirmou o secretário-adjunto de Estado Richard Armitage, perante um comitê da Câmara de Deputados, ao ser questionado sobre as palavras de Rumsfeld.Falando a jornalistas mais tarde, Armitage disse que o conceito de eleições parciais não está em estudo. "Não", respondeu. "Não que eu saiba".Rumsfeld havia dito ontem e repetido hoje - antes do depoimento de Armitage - que, embora "todos os iraquianos mereçam o direito de votar", a violência no país poderia impedir o pleito em algumas áreas: "Ter uma eleição imperfeita é melhor que não ter eleição nenhuma? Pode apostar", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.